terça-feira, 22 de julho de 2008

avó

deo colônia fragrância flor do campo
essência que se espalha
se dilui pela vida afora
cheiro de velhice

de banho tomado em banheiro
de azulejo cor de rosa
toalha do bazar da igreja
sabonete alecrim

pele cor caramelo
com marcas do tempo
com veias azuis
e pés inchados

corpo com odor próprio
de avó mesmo
inconfundível
único

4 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
bocadinho de prosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
O Lobo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.